Marca Maxmeio

Blog

Postado por admin em 25 de fev as 17:22

Horário de verão terminou no último domingo, mas seu filho continua com o fuso antigo? Não se sinta sozinho. É comum que as crianças demorem um pouco mais que os adultos para se adaptarem ao novo horário.

Algumas mães perceberam que seus filhos passaram a dormir mais cedo e, a consequentemente acordar antes. Ou seja, estão seguindo o horário antigo. “Desde domingo a minha acorda às 5h30. Acho q ainda vai uns dias até regular”, diz Andrea Magnanelli, mãe de uma menina de 1 ano e 10 meses.

“A minha de 4 anos também está assim. Acho natural”, afirma Mariella Bortoletto Aleo. “Acho que em uma ou duas semanas tudo se ajeita.”

A sugestão do pediatra e neonatologista Jorge Huberman é tentar atrasar o “relógio” da criança 15 minutos por dia _até completar os 60 minutos do fim do horário de verão.

Essa transição pode levar mais de quatro dias, pois você precisará repetir cada período de atraso de 15 minutos por dois ou três dias até a criança se acostumar com o novo horário de ir para a cama.

A psicóloga Renata Soifer Kraiser, autora do livro “O Sono do Meu Bebê”,  diz que a mudança pode ser de 5 minutos diários. “Aos poucos, a criança vai se adaptando e entrando na nova rotina”.

Segundo Huberman, essa técnica pode ser aplicada também para preparar a criança para viagens internacionais em que haverá diferença de fuso horário em relação ao Brasil.

Mas se o problema da criança é acordar mais cedo, o jeito é tentar convencê-la a ficar 5 minutinhos a mais na cama por dia.

No lado oposto, há pais preocupados com filhos que vão dormir muito tarde. A técnica é a mesma: tentar adiantar 15 minutos por dia a hora de ir para a cama. Outra dica é deixar a casa silenciosa e evitar distrações muito excitantes pouco antes de dormir. Nessa hora, as atividades têm de ser leves e preparar para o sono, como leitura.

Fonte: Folha de S. Paulo

Postado por admin em 19 de fev as 19:27

“Mas você não vai dar água para esse bebê?”, “melhor ele tomar  um chazinho de camomila para aliviar a cólica” ou ainda “coitada dessa criança, dá um suco para ela”. Levanta o mouse aí a mãe que já não ouviu uma ou todas essas frases nos primeiros meses de vida do seu bebê. Apesar de os médicos alertarem que o bebê não precisa tomar nada além do leite materno, sempre há pitacos contrários de tias, avós e cunhadas.

A pediatra e nutróloga da Casa Curumim, Melissa Ramos Morais,  explica que o leite materno supre as necessidades energéticas e de nutrientes de um bebê até o sexto mês de vida, ou seja, nada de água, suco ou chazinho. “O leite materno também tem fatores bioativos que protegem contra doenças infecciosas. Há estudos que mostram proteção contra doenças crônicas e favorecimento a um bom desenvolvimento cognitivo e motor”, comenta a médica.

Ela explica que geralmente é aos seis meses que o bebê tem maturidade corporal e neurológica para receber novos alimentos. “Até lá, o bebê não necessita de outros tipos de leite, alimentos, água, sucos ou chás”, comenta.

Caio, filho da bibliotecária Lidia Andriolli de Holanda, 35, completou seis meses apenas no início de janeiro. Segundo ela, foi  dura a pressão de familiares para que ela passasse a dar comidas para o seu bebê antes dele completar o sexto mês de vida.

“Parecia que eu era má por não dar fruta, suco. Mas, o pediatra falou que quando eu voltasse a trabalhar,  ele podia ficar só com o leite. Infelizmente, a maioria acaba dando frutas e sopinhas antes do recomendado”, comenta Lidia, que voltou a trabalhar quando o filho tinha apenas quatro meses de vida. O Ministério da Saúde recomenda o leite materno exclusivo até os seis meses de vida e como forma de complemento a outros alimentos até os dois anos ou mais.

A médica explica que a mulher que volta a trabalhar antes dos seis meses de vida do bebê tem alguns direitos garantidos para que possa continuar amamentando. Ou a mãe pode optar em tirar dois intervalos de 30 minutos para tirar o leite, armazenar para ser oferecido ao bebê na sua ausência, conforme já mostrou o Maternar.

BEBÊS QUE TOMAM LEITE DE FÓRMULA

A médica comenta que os  bebês que tomam leite de fórmula, no entanto, vão precisar tomar água antes. “O bebê que toma fórmulas infantis precisa de água para matar a sede e para os rins funcionarem melhor. Já o que é amamentado no seio materno, em livre demanda [sempre que o bebê quer], mama algumas vezes sem fome só para matar a sede”, explica a médica.

Segundo ela, a introdução dos alimentos para os bebês que tomam leite artificial também só deve ser feita após o sexto mês.

Ela explica que a introdução alimentar não precisa ser feita de forma apressada.  “A introdução alimentar deve ser feita gradativamente, com a consistência adequada (inicialmente purês ou papas) e respeitando aceitação e tolerância do bebê. É importante ofertar de maneira variada, não forçar”, explica a médica

A pediatra diz que os pais não devem estranhar se em um primeiro momento o bebê recusar algum alimento. “Ele pode recusar  por estar estranhando o alimento novo, então, vale oferecer de novo e gradativamente aumentar a consistência para pedaços até a refeição se assemelhar com a da família”,  explica.

Melissa explica que é importante sempre ter variedade no cardápio, com frutas, legumes, hortaliças e carnes. “É importante conhecer o histórico alimentar da família, sobre alergias para adiar a introdução de alguns alimentos se necessário”, diz a pediatra. Para ela, é muito importante os pais conversarem e tirarem todas as dúvidas com o pediatra do seu filho.

A pediatra comenta que a introdução alimentar é um período de adaptação e que pode levar dias, semanas, até que o bebê comece a aceitar e comer melhor. Ela ressalta que primeiro deve ser introduzida as frutas e depois a papinha salgada. “O ideal é usar alimentos com consistência macia, inicialmente amassados sem necessidade do uso de liquidificadores ou peneiras”, ressalta.

Melissa diz que o mais importante é respeitar a saciedade da criança, lembrar que é um processo novo e que pode necessitar de um período de adaptação. Ela diz que muitos pais tem usado o BLW (Baby-led Weaning,  ou em tradução livre o desmame que o bebê lidera) na introdução dos alimentos.

“Precisa fazer desse momento algo prazeroso tanto para o bebê quanto para os pais”, aconselha.

Fonte: Folha S. Paulo

Postado por admin em 12 de fev as 18:28

O carnaval chegou e uma das partes mais divertidas dele é escolher a fantasia, e a criançada se diverte muito nessa hora. Confira algumas ideias pra vestir os pequenos e deixar a folia deles ainda mais divertida.

1202 - Site Daya

Postado por admin em 04 de fev as 20:52

Verão, época ótima pra curtir praia, piscina e passeios em família, mas é bom lembrar que quando a curtição envolve criança, algumas cuidados maiores são precisos. Pra te ajudar a não esquecer nada, separamos algumas dicas, confira:

Bebês podem tomar de 20 a 30 minutos de sol diariamente; depois, coloque-o sob o guarda-sol. Evite os horários entre as 10h e as 16h.

Aplique bloqueador solar (fator 30) antes de sair de casa e reaplique a cada duas horas, mesmo sob o guarda-sol. Os raios solares refletidos na areia podem provocar queimaduras.

Todo cuidado com a desidratação. Para crianças com até 2 anos, é melhor dar água sempre. Acima disso, estão liberados sucos e água de coco.

Amamente normalmente. Se o bebê ainda usar mamadeira, conserve em isopor e confira antes se o calor não azedou o leite.

Não deixe a criança em contato com a areia em praias muito cheias ou que tenham cachorros. Há perigo de doenças dermatológicas.

Leve pequenas piscinas de plástico inflável e, se possível, encha com água doce. Só use água do mar se a condição da praia for boa.

Respeite o sono da criança. Se quiser esticar por mais tempo a permanência na praia, prepare uma “caminha” de areia e forre com toalha seca. Acomode a criança e cubra-a com uma toalha leve para proteger do vento. O mesmo arranjo pode ser feito na piscina seca.

Olho vivo é pouco: crianças que andam precisam estar identificadas, caso se percam. O ideal são aquelas pulseiras que só saem do pulso se cortadas (procure em lojas que vendem maiôs infantis; algumas praias distribuem gratuitamente).

 

Postado por admin em 28 de jan as 19:15

Entre refeições, trabalho e tarefas domésticas, o sono acaba sendo o mais prejudicado com a chegada de uma criança. A maior parte dos bebês acorda várias vezes durante a noite e não dá brechas para um descanso. Com o sono interrompido constantemente, os pais sofrem com alterações de humor e também com o cansaço físico.

Muitos acreditam que, ao receber um bebê em casa, a família toda deve mudar sua rotina para viver em função do novo integrante. Esta mudança de rotina é um dos fatores que mais influenciam no sono do recém-nascido. Segundo a obra, o ideal é inserir as necessidades do bebê à rotina da casa, sem que ele se torne a única preocupação da família.

Mesmo com as dificuldades e o tempo de adaptação, os pais podem tomar pequenas atitudes que ajudam colocar o neném para dormir. Confira algumas dicas e orientações sobre como manter o sono do bebê durante a noite.

1) Um ambiente amoroso no lar é de extrema importância para o sono do bebê. Quando pequena, a criança se comunica pelos sentidos e, para ficar relaxada, é necessário que o clima da casa também seja de paz. A recomendação é que o casal demonstre muito respeito e amor na presença do neném. O bebê se cria através de suas percepções de ambiente!

2) A alimentação é um dos fatores influenciadores da rotina. Um bebê acorda, mama e dorme. É preciso manter uma rotina de horário para cada uma dessas atividades. O recém-nascido leva em torno de duas semanas para se adaptar e seguir os horários definidos. O autor do livro recomenda amamentar a criança de quatro em quatro horas, começando às sete da manhã. Sendo que a contagem inicia quando a criança começa a mamar, alimentando-a durante 15 ou 20 minutos em cada peito. Seguindo o tempo de ficar acordado, depois dormir e mamar novamente.

3) Ao amamentar a criança, é necessário verificar se ela se alimentou por completo. Muitas vezes os bebês podem cochilar enquanto mamam. A mãe precisa mantê-lo acordado para que a refeição seja 100% eficiente e a criança fique nutrida por completo. Um bebê bem alimentado não acorda no meio do sono.

4) Aprenda a decifrar os sinais do bebê. Conhecer o seu filho é muito importante: é preciso saber identificar quando ele está sentindo fome, quando está com a fralda suja, quando está com cólica ou quando está fazendo manha. Quando ele está com fome, costuma a fazer sinais de sucção. Fique atenta! Evite amamentar na hora errada.

5) Evite embalar o bebê no berço ou no colo. O livro explica que a criança deve ser colocada no berço ainda acordada para que ela se acostume a cair no sono no local adequado. Lembrando que a cama do casal não é um lugar indicado. Uma vez que o bebê se acostuma a dormir com os pais, ele não vai querer ficar no berço. O neném precisa do seu cantinho!

6) Não leve o neném para passear de carrinho pela casa nem para “dar umas voltas de carro”. O bebê precisa sentir que há um local certo para ele dormir e não pode ser algo em movimento, pois a cama é estática.

7) Nada de deixar o bebê dormir em frente à televisão. O barulho constante e a iluminação da imagem podem interferir na tranquilidade da criança.

8) Brincar, receber carinho, tomar banho e conversar fazem parte das atividades do bebê. Para não exagerar com muitas tarefas, a pediatra alerta para não deixar o bebê dormir por exaustão. Além disso, ao colocar a criança para dormir, saia do quarto enquanto ela ainda está acordada. Assim ela se acostumar a dormir sozinha.

Fonte: Papo Feminino

Postado por admin em 21 de jan as 20:17

Vocês tão lembradas que um tempo atrás era moda usar esse estilo de rabicó? Para quem gosta de dar um toque retrô no visual das meninas, nada melhor do que usar um desses.

Esse rabicó é lindo, colorido, bem fácil de usar e combina com o verão. É só prender ao redor do rabo-de-cavalo (ou se inspirar em outros penteados bem legais) e pronto!

Uma super dica para as mamães de meninas!

2101 - Site Daya

Curtiram?

Postado por admin em 14 de jan as 20:09

A gente não tem como impedir o crescimento dos nossos filhos, mas tem como acompanhar o desenvolvimento deles com estilo. Aí surgiu a ideia do Growth Chart, uma régua super estilosa inspirada nas tradições antigas de registrar o crescimento dos pequenos na parede ou no marco das portas.

As medidas são feitas em polegadas ou centímetros, e o gráfico pode ser colocado em qualquer lugar da casa, pois fica pendurado na parede. As cores são suaves, o que ajuda muito na hora de combinar com a decoração da casa.

1401 - Site Daya

Fonte: Blog de Moda Infantil

Postado por admin em 07 de jan as 18:25

Para quem acha que a moda gira em torno dos adultos, se enganou! É claro que a demanda para a categoria é maior, mas a moda infantil está super presente nas passarelas, inclusive em eventos importantes que englobam esse mundo incrível. A estação mais animada de todas chegou, e as tendências desta desejada época já dão as caras nas vitrines de todo o Brasil.

Colorido sempre foi o forte do verão, ainda mais na moda infantil, que muitas vezes permanece durante outras estações. A grande aposta para o verão 2015 é a cor laranja, é a ela que vai comandar a coleção do próximo verão. Cor viva e vibrante tem tudo a ver com a estação, harmoniza com todos os tons de pele e permite brincar bastante quando se trata de combinações! Estará presente tanto nas peças de roupas quanto nos acessórios e sapatos. Além de ser uma cor contagiante, a cara do verão, pode ser usada por meninos e meninas. Isso permite a criação de inúmeros looks.

Quando se trata de roupa infantil não tem apenas uma cor definida como tendência. Existe àquela que está em voga, aparecendo com mais frequência em determinados looks. É o caso do laranja, apesar ser considerado um dos destaques, as outras cores não ficam de fora: rosa, verde, azul, vermelho, amarelo também fazem parte da próxima coleção. Isso sem contar às vezes em que elas aparecem todas misturadas nas peças. O verão é uma época em que a alegria está muito presente também nas peças de roupas. Estampas florais, listradas e de bolinha também estão em alta para a estação.

Fonte: Dicas Pais e Filhos

Postado por admin em 23 de dez as 18:59

Toda mãe sabe que criança, seja pequena ou maiorzinha, sempre está sujeita a situações que fazem sujar e deixar roupas manchadas. Porém os borrões nas inúmeras roupas causados por acidentes ou travessuras na hora de comer não precisam ser motivo de briga, pois muitos são possíveis de serem removidos.

As manchas nas roupas das crianças só se tornam um verdadeiro pesadelo da lavanderia se forem usados produtos de limpeza inadequados ou houver mistura de itens que provocam alguma reação e atrapalham a mancha a se desprender da trama do tecido.

ara saber quais são os produtos de limpeza e outros ingredientes que podem auxiliar na retirada de manchas, nossas avós usaram a imaginação, o raciocínio lógico e até um pouco de conhecimento de química básica, mas também se arriscaram e erraram muito para criar os métodos consagrados. Conheça as fórmulas e procedimentos para lavar roupas que deram certo através de alguns exemplos muito comuns de manchas:

Manchas decorrentes de brincadeiras

Grama

Roupas manchadas com o verdinho da clorofila da grama do parque ou de plantas em geral podem ser removidas com um pouco de álcool. Se ainda assim a mancha persistir, a solução é lavar passando um alvejante à base de oxigênio.

Lama

Brincar na terra sempre foi saudável e a costumeira lama pode ser facilmente retirada da roupa das crianças, principalmente se esta estiver seca. Portanto, nada de drama, para remover a mancha deve-se deixar a lama secar e escovar o tecido para retirar os resíduos. Em seguida é importante aplicar uma pasta de sabão em pó ou, no caso de manchas persistentes, deixar a peça de molho num alvejante à base de oxigênio. O último passo é lavar normalmente a mão ou na máquina de lavar.

Uma dica: se a cor do tecido for clara e a roupa delicada uma boa alternativa é lavar a roupa com água fria e depois água misturada com vinagre.

Graxa

Crianças que brincam na garagem de casa ou gostam de consertar bicicletas, costumam dar de “presente” para as mães manchas como as de graxa. Para solucionar o desafio, o tecido deve ser molhado e receber sobre a mancha um solvente, como a acetona. Depois disso é necessário apenas lavar com sabonete branco e bastante água.

Tintas à base de água

Se seu filho gosta de brincar que é pintor, enxague imediatamente suas roupas manchadas de tinta com água morna e lave bem. Porém, se a tinta já secou na roupa, passe a considerar a peça como uma obra de arte, pois a mancha não sairá.

Tinta de caneta

Para retirar os riscos de caneta da roupa dos pequenos escritores, o truque é deixar a roupa de molho na água e sabão e depois ir aplicando repetidas vezes uma mistura de leite com vinagre, esfregando-a sobre a mancha.

Sujeira acumulada nas meias

As manchas nas meias não são privilégio das crianças travessas, afinal a meia ficar encardida com o tempo é natural, mas muitas mães alegam que as meias infantis são as piores neste aspecto. Para tirar a sujeira acumulada a receita é simples: ferver as meias junto com uma rodela de limão.

Suor

Golas de camisetas e área debaixo das mangas,  são os locais mais afetados pelas manchas de suor das crianças brincalhonas. Para tirar estes borrões amarelados, lavar o tecido só com água, passar sabão em pedra na mancha amarelada e deixar ao sol por algumas horas para só depois enxaguar costuma resolver o caso.

Manchas de comida

Sorvete ou chocolate

Roupas manchadas de sorvete ou chocolate não devem ir diretamente para máquina de lavar e sim ter a mancha retirada previamente a mão com água morna e um removedor de manchas.

Se a mancha não sumir por completo, a peça deve ser lavada de novo, desta vez na máquina de lavar, com um alvejante adequado para o tipo e cor do tecido.

No caso das roupas brancas, é possível remover a mancha com sucesso passando sobre ela água oxigenada a 10 volumes.

Sucos de frutas

Certos sumos de frutas deixam manchas bem presentes nos tecidos. Se a mancha de suco for recente, colocar sal diretamente sobre ela e em seguida, esticar a peça e despejar uma mistura de um copo de água fervendo com uma colher de sopa de álcool ou amoníaco pode ser a solução. No caso das manchas secas ou mais antigas, deve-se umedecer a área manchada com vinagre branco, deixando agir por alguns minutos, e depois, lavar a peça com bastante água.

Leite em pó

Para tirar as manchas de leite em pó, o segredo é antes de lavar a peça deixar agir sobre ela durante 30 minutos produtos à base de oxigênio. Se a mancha for antiga, deixe a peça de molho neste produto por algumas horas antes de lavar.

Chiclete

O grande problema das manchas de chiclete é causado pelo fato de algumas destas guloseimas serem bem grudentas. Para solucionar o caso o ideal é envolver uma pedra de gelo em um plástico e passar no local onde o chiclete está grudado, pois isso vai endurecê-lo, tornando-o menos aderente a trama do tecido e mais fácil de ser retirado.

Fonte: Dicas de Mulher

Postado por admin em 17 de dez as 17:55

Uma coisa é certa: comprar as roupas para crianças de 1 a 3 anos, que estão tão ativas, pode fazer uma grande diferença na sua vida. Imagine peças fáceis de pôr e tirar, que caibam direitinho e que ainda tenham versatilidade para uso em dias mais quentes ou mais frios.

Especialistas em vestuário infantil juntaram várias dicas para facilitar sua escolha de roupas. O desafio é montar um guarda-roupa com itens duráveis, que resistam não só ao tempo, mas a todas as aventuras em que seu filho vai se meter na hora de brincar. Confira:
Entra e sai rápido
Pode parecer mundo dos sonhos, mas, em breve, seu filho irá se vestir sozinho. Antes que esse dia chegue, no entanto, ele provavelmente vai correr feito um maluquinho ou escapar como sabonete toda vez que você tentar vesti-lo para sair. Facilite sua vida comprando roupas simples de colocar e que não exijam grande cooperação por parte dele. Isso quer dizer: evite muitos botões ou ganchos complicados de encaixar.

Desfraldamento futuro
Estimule seu filho a curtir cueca ou filha a curtir calcinha comprando peças com estampas do animal ou personagem favorito. Se a criança entrar no espírito de que a princesa ou o leão não vão querer ficar molhados de xixi ela tenderá a cooperar muito mais do que qualquer insistência por parte da mamãe.
Evite comprar roupas difíceis de tirar, como jardineiras, calças de amarrar, colãs. Na primeira fase do desfralde, elas podem ser exaustivas, e diminuem a sensação de independência da criança, já que ela sempre vai precisar de um adulto para tirar ou colocar a roupa na operação banheiro.

Resistência a manchas
Já que estamos todos cansados de saber que crianças fazem sujeira mesmo, nada melhor do que se preparar de antemão para o pior, em vez de puxar os cabelos cada vez que a roupa nova ficar imunda. Procure roupas que sejam fáceis e simples de lavar (e que possam ser colocadas na máquina, se você preferir), feitas de tecidos naturais e respiráveis. Itens delicados só mesmo para ocasiões muitos especiais, desde que você já entenda que tudo pode acontecer com aquele vestido infantil que custou mais do que roupa de adulto.

Outra dica é que roupas estampadas mostram menos aquelas manchas de gordura quase impossíveis de tirar do que roupas lisas. Para crianças nesta fase, babadores continuam a ser uma boa pedida para proteger as roupas na hora das refeições e da babação quando tiver mais dente nascendo.

Cintura regulável
Incrível invenção que permite que calças, saias e shorts cresçam ou diminuam na cintura para se adequar ao tamanho do seu filho. Se não achar a cintura regulável, prefira roupas de elástico ou com cordões para ajustar a cintura.

Fantasias
Crianças desta idade adoram andar por aí fantasiadas, mesmo que não seja Carnaval ou dia de festa. Fique atenta a promoções fora de época e já compre algumas fantasias que possam acompanhar o crescimento dos próximos meses.

Número maior
Na dúvida, compre o número maior. As crianças crescem tão rápido que um macacão que parece certinho hoje pode ficar pequeno demais em questão de semanas.
Mangas sempre podem ser dobradas e cinturas enroladas até que sirvam direito.

Joelhos resistentes
Apesar de já andarem, crianças pequenas adoram se arrastar no chão, e o joelho é o que mais sofre. Procure calças de tecido resistente que não furem na primeira raspadinha. Calças jeans são boas porque, se furarem, podem ser usadas assim mesmo, num estilo fashion-desencanado.

Meias escuras
Não adianta, por mais que você tente controlar seu filho vai acabar andando por aí de meia. Para não se descabelar tentando tirar o encardido, prefira meias escuras, em que as manchas aparecem menos.

Segurança
Evite roupas que tenham cordões no pescoço, em volta do capuz, ou na barra da blusa ou do casaco. Esses cordões podem ficar presos em alguma coisa no meio da brincadeira e causar machucados ou enforcamentos. Você pode retirar os cordões, se a roupa vier com eles.

Cores neutras em peças-chave
Em especial para meninas, procure comprar peças-chave como casaquinhos e calças em cores neutras como cru, cinza, preto, branco ou jeans, para você poder combinar com todo tipo de roupa ou estampa.

Fonte: Baby Center

ссылка онлайн детские игры найти как найти номер телефона санатория номер телефона по адресу оренбург здесь найти номер телефона по фамилии в сочи база адресов и телефонов киева рисовать игры для детей онлайн база данных телефонных номеров мобильных программа для узнать домашний адрес по телефону москва онлайн игры губка боб тут бесплатные онлайн игры с кровью справочник телефонов гувд ссылка узнать по фамилии адрес петербург на сайте ссылка определить местоположение на карте по номеру телефона определение купить дженерики Блог жирафа здесь sitemap